PARECER SOBRE O ARTIGO: TULUA – EM BUSCA DA EXCELÊNCIA, SIMPLICIDADE E SEGURANÇA EM ABDOMINOPLASTIA

O artigo está bem elaborado e escrito pelo Dr. Francisco Javier Villegas Alzate para expor procedimento interessante e fundamentado em princípios técnicos introduzidos em minhas publicações, com referências bibliográficas devidamente mencionadas (Avelar, 1999, 2000). O autor demonstrou sólidos conhecimentos das técnicas de abdominoplastia e descreve claramente as inovações por ele introduzidas que são importantes contribuições ao tema.
A par fez proveitoso estudo experimental em ratos comparando abdominoplastia com amplo descolamento do panículo da parede abdominal e a que o autor preconiza com limitado descolamento. Com efeito, a conduta demonstra que o resultado estético da cirurgia plástica da parede abdominal pode ser alcançado sem obrigatoriedade de dissecção abrangente em toda superfície descritos por Callia (1965) e Pitanguy (1967), como era considerado clássico até final do Século XX. Tal observação representou minha inquietude na década de 90 quando tomei medida radical em não mais associar lipoaspiração com descolamento do panículo.
Quando Illouz (1980, 1982, 1986) desenvolveu e introduziu a revolucionária técnica de lipoaspiração inicialmente para tratar adiposidades trocantéricas, coxas e dorso ele mesmo ampliou a aplicação para tratar a parede abdominal. Contudo, a realização de lipoaspiração isolada no abdômen naquela época e mesmo atualmente, corrigia e ainda o é somente para remover o acúmulo gorduroso, mas não reparava redundância de pele.
Ao aplicar a nova técnica de lipoaspiração para tratamento da parede abdominal percebi a necessidade de ressecar o excesso de pele que representou um significativo avanço na aplicação do método. Em minha primeira publicação demonstrei a conveniência, aplicação e vantagens da associação de lipoaspiração com abdominoplastia (Avelar, 1985), quando descrevi amplo paralelo entre a nova técnica de Illouz e a abdominoplastia, que é pioneira na associação das técnicas. Contudo, a ocorrência de complicações (seroma, hematoma, hemorragia, necrose de panículo, infecção) eram situações complexas que surgiam durante e após a cirurgia.
As temidas complicações mencionadas pelo Dr. Villegas Alzate em seu sedimentado artigo, eram as mesmas que aterrorizavam o emprego da técnica de lipoaspiração quando se associava com descolamento do panículo. Para minimizar tais complicações introduzi a lipoabdominoplastia com o objetivo primordial de manutenção dos vasos perfurantes que funcionam com múltiplos pedículos para o retalho e panículo remanescente. (Avelar 1999, 2000)
A plicatura das estruturas músculo-aponeurótica da parede abdominal, quando indicada nas abdominoplastias, igualmente é possível ser empregada a despeito da não realização do descolamento do panículo abdominal nas lipoabdominoplastias conforme minhas descrições publicadas (Avelar, 2002, 2004). Tal conduta só foi possível aplicar com o mínimo de complicações após a introdução de princípios que preservam as artérias perfurantes da parede abdominal que representou importante evolução conforme Dr. Villegas Alzate faz explicitas referências.
A plicatura horizontal ou transversal proposta pelo autor da técnica TULUA é importante recurso cirúrgico que tem indicações em casos selecionados conforme demonstra no artigo. Considero que tal plicatura isolada em pacientes portadores de diástese supraumbilical pode promover projeção exagerada do abdômen superior. Vale ressaltar que pacientes (homens e mulheres) portadores de afastamento dos múculos retos é imperioso realizar o reforço da aponeurose desde a região supra-púbica até próximo ao apêndice xifoide. A realização de plicatura em “H” proposta por Abramo é outra variação cirúrgica para igualmente reforçar horizontalmente a parede músculo-aponeurórica conferindo harmoniosa silhueta corporal (Abramo, 1990, 2016)
Ao realizar lipoabdominoplastia que se fundamenta em princípios cirúrgicos na manutenção da vascularização arterial, venosa e linfática caracterizado pelo não descolamento do panículo, é possível realizar plicatura da parede músculo-aponeurótica ao longo da linha média. O reforço aponeurótico é realizado em segmento desprovido de vasos perfurantes que se situa na região central local mais frequente de diástese dos músculos retos do abdômen. Não obstante, pode ocorrer diástese da parede abdominal fora da linha média, ou seja entre a borda externa dos músculos retos com os músculos oblíquos lateralmente. Tais situações que não são frequentes podem ser tratadas com a realização de plicatura lateral mesmo sem realizar descolamento do panículo abdominal (Avelar, 2016)
O artigo do Dr. Francisco Javier Villegas Alzate está muito bem ilustrado com numerosos casos clínicos oriundos de sua experiência pessoal e com resultados de excelente qualidade. A matéria representa valiosa fonte de informações para os cirurgiões que se preocupam com os aspectos estéticos e primor cirúrgico ao realizar abdominoplastia. Apresenta extensas referências bibliográficas que são os importantes resultados de toda pesquisa que justifica o valor da matéria transcrita.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1- Avelar JM – (1999) Uma nova técnica de abdominoplastia – sistema vascular fechado de retalho subdérmico dobrado sobre si mesmo combinado com lipoaspiração (A new technique for abdominoplasty – Closed vascular system of subdermal flap folded over itself combined to liposuction). Rev Bras Cir 1999; 3-20. Nov-Dec.
2- Avelar JM (2000) – I Curso de abdominoplastia (First Course of abdominoplasty). Chairman: Prof. WEP Callia. Municipal Hospital. São Paulo, March
3- Callia WEP (1965) Contribuição ao estudo de correção cirúrgica do abdomen pêndulo e globus
(Contribution to the study of surgical correction of the pendulum abdomen and globus). original art. Doctoral Thesis Fac Med USP, São Paulo
4 – Pitanguy I. (1967) – Abdominal Lipectomy: An Approach to It through an Analysis of 300 Consecutive Cases. Plastic and Reconstructive Surgery: October – Volume 40 – Issue 4 – pg. 384-391
5 – Illouz YG (1980) Une nouvelle technique pour les lipodystrophies localisées. Rev Cir Esth. Franc 6 (9)
6 – Illouz YG (1982) Liposuction technique. First Instructional Course with surgical demonstrations at São Paulo Hospital, Prof. Andrews` Service. Organized by Brazilian Society of Plastic Surgery – Regional São Paulo, Endorsed by Brazilian Society of Plastic Surgery(BSPS), October.
7- Illouz YG (1986) Estudo do adipócito nas lipodistrofi as. In: Avelar JM, Illouz YG (eds) Liposuction (lipoaspiração). Hipocrates, Sao Paulo, pp 19–23
8 – Avelar JM (1985) Fat-suction versus abdominoplasty. Aesth Plast Surg.; 9: 265-276.
9 – Avelar JM (2002) Lower abdominoplasty without panniculus undermining and resection. In Abdominoplasty without panniculus undermining and resection. Ed by Avelar JM. Ed Hypocrates São Paulo, 153-170
10 – Avelar JM – (2004) New concepts on abdominoplasty. American Society for Aesthetic Plastic Surgery annual meeting. The Aesthetic Meeting, Boston
11 – Abramo AC, Viola JC, Marques A (1990) The H approach to abdominal muscle aponeurosis for the improvement of body contour. Plast Reconstr Surg 86(5):1008–1013
12 – Abramo JC (2016) The “Lying” H-Shaped with Double Contour Plication of the Anterior Aponeurosis Wall in Abdominoplasty. New Concepts on Abdominoplasty and Further Applications. J.M. Avelar (ed.), Ed. Springer, 34:531-544
13 – Avelar JM (2016) Full Lipoabdominoplasty. New Concepts on Abdominoplasty and Further Applications. J.M. Avelar (ed.), Ed. Springer, 7:85-106
__________________________________________________