Força tênsil de diferentes tipos de fio de sutura. Estudo em ratos.

Resumo

Introdução: Os fios de sutura são fundamentais na prática cirúrgica e há grande diversidade de materiais com os quais são produzidos. Objetivo: Avaliar a força tênsil dos fios de sutura Vicryl (poliglactina 910), Vicryl Rapide (poliglactina 910), Catgut, Catgut Cromado, PDS (Polidioxanone) e Monocryl (poliglecaprone 25), em tempos distintos. Métodos: Foram utilizados 20 ratos da raça Wistar distribuídos em dois grupos. Todos os animais tiveram seis diferentes tipos de fios implantados aleatoriamente. No Grupo 1 a medida da força tênsil foi realizada após 30 dias de pós operatório e no Grupo 2, esta força foi medida aos 60 dias de pós operatório. Resultados: O fio Catgut cromado apresentou redução de 74.69% em sua força tênsil aos 30 dias e 83,18% em 60 dias. O Catgut apresentou redução de 77.97% em 30 dias e 90.52% em 60 dias. O Monocryl apresentou redução de 68,18% em sua força tênsil em 30 dias e 92,98% em 60 dias. O PDS incolor apresentou redução de 59,21% em 30 dias e 45,70% em 60 dias. O Vicryl incolor apresentou redução de 68,06% em sua força tênsil aos 30 dias e 88,09% aos 60 dias e o Vicryl Rapide apresentou uma redução de 82,66% em sua força tênsil aos 30 dias e em 60 dias não foi encontrado fio devido sua absorção. Conclusão: Todos os materiais estudados demonstraram diferenças em suas forças tênseis aos 30 dias àqueles informados pelas industrias no mesmo período.

Introdução

Os materiais de sutura tem múltiplas aplicações, principalmente na aproximação de bordos de feridas e fechamento de incisões cirúrgicas10,11.

Há vários tipos diferentes de materiais de sutura. Muitos resultados pós-operatórios poderiam ser evitados com a escolha ideal dos materiais usados e indicações precisas. A escolha do fio de sutura está baseado em múltiplos fatores como as propriedades físicas e bioquímicas, além da escolha pessoal do cirurgião11,12,3.

Os fios de sutura podem ser absorvíveis ou não-absorvíveis, naturais ou sintéticos, monofilamentares ou multifilamentares2.

Os estudos sobre materiais de sutura avaliam a força tênsil, segurança, reação tecidual, elasticidade, resistência, segurança do nóe força de rompimento deste nó3,5.

Catgut é um fio confeccionado de material natural obtido a partir de intestino bovino. Ele é naturalmente degradado por enzimas proteolíticas presentes no organismo humano. O Catgut simples tem uma composição de 97 a 98% de colágeno puro. A absorção é completa aos 70 dias de pós-operatório e a tensão completa é mantida por, no mínimo, 10 dias13.

Catgut cromado é um fio tratado com sal de crômio para resistir às enzimas proteolíticas do organismo, assim, seu tempo de absorção prolonga-se por mais de 90 dias. Os fios de puro colágeno são submergidos em soluções de crômio e depois eletronicamente tecidos e purificados em Catgut cromado. A cobertura cromada do Catgut diminui o reação tecidual14.

O Monocryl (poliglecaprona 25) é um fio cirúrgico sintético, monofilamentar e absorvível preparado com copolímero glicólido e epsilon-caprolactona15.

O PDS (polidioxanona) é um fio monofilamentar, sintético e absorvível preparado com polyester, o p-diaxona15.

Vycril (poliglactina 910) é um fio de sutura sintético e absorvível composto por um copolímero, 90% glicólido e 10% L-lactide15.

Vycril rapide (poliglactina 910) é um fio sintético e absorvível composto por um copolímero de 90% glicólido e 10% L-lactide. Este fio é usado para um tempo curto de tensão da sutura, mantido por 7 a 10 dias15.

 

Objetivo

Avaliar a força de tensão de seis diferentes materiais de sutura em três diferentes tempos cirúrgicos, 0, 30 e 60 dias, após implantação no dorso de ratos, comparando com as informações cedidas pelos fabricantes.

 

Método

O estudo experimental foi realizado no Laboratório de Cirurgia Experiemtnal do Departamento de Cirurgia e Ortopedia da Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP, após aprovação do Comitê de Ética Animal.

Vinte ratos Wistar foram cedidos pelo Biotério Central da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Botucatu e utilizados neste estudo.

Os animais foram divididos em dois grupos. Todos os animais tiveram seis tipos diferentes de fios implantados no dorso.

Todos os animais foram anestesiados e tiveram o dorso tricotomizado. Duas incisões com 5 cm foram realizadas, uma na porção caudal e outra na porção cranial do dorso de animal. Os fios foram inseridos no subcutâneo com auxílio de uma agulha de Graziozi e fixados com um ponto de mononylon em cada extremidade para identificá-los em caso de absorção. (Figs 1, 2, 3).

Os fios utilizados foram Vycryl Rapide, Monocryl, PDS, Vycril, Catgut e Catgut cromado.

O Grupo 1, composto com 10 animais, foram sacrificados após 30 dias de pós-operatório, momento em que foi medida a força tênsil dos fios. O Grupo 2, também com 10 animais, teve seus animais sacrificdos e avaliados com 60 dias de pós-opearatório.

A força tênsil foi medida através de uma máquina universal (EMIC), modelo DL 1000, onde cada fio foi manualmente fixado e sua força foi medida no momento de ruptura. Os dados foram analizados por um software de computador, o Mtest.

Na análise estatística foi utilizado o teste Chi-quadrado para comparar os diferentes tempos de análise e valores de força tênsil.

Fig.1. Incisões caudal e cranial. 

Fig.2. Agulha de Graziozi para a introdução subcutânea do fio de sutura. 

Fig.3. Fixação do fio no subcutâneo do animal. 

 

 

Resultados

O Vicryl Rapide foi absorvido 82,66% em 30 dias, de acordo com o fabricante, não é possível medir a força tênsil neste período porque este já estaria totalmente absorvido, o que não foi verificado pois, após 30 dias, ainda apresentava 20% de sua força original.

A força tênsil do Monocryl diminuiu 68.18% em 30 dias e 92.98% em 60 dias. O fio Monocryl foi absorvido aproximadamente 70% em 30 dias e 90% em 60 dias, mas o fabricante refere que em 28 dias não é possível verificar tensão pois estaria absorvido completamente.

A força tênsil do PDS incolor diminuiu 59.21% em 30 dias e 45.70% em 60 dias. De acordo com o fabricante, este fio perde 30% da sua força de tensão em 28 dias, o que não foi verificado neste estudo.

O Vicryl incolor apresentou uma perda de 68.06% de força em 30 dias e 88.09% em 60 dias, mas conforme o fabricante há uma perda de 60% em 21 dias e total absorção em 35 dias. Este estudo comprovou 11,01% de força tênsil em 60 dias de pós-operatório.

O Catgut cromado apresentou perda de 74.69% de força tênsil após 30 dias e 83.18% após 60 dias.

A força do Catgut diminuiu 77.97% em 30 dias e 90.52 % em 60 dias.

Discussão

Este estudo avaliou seis diferentes fios de sutura absorvíveis que podem ser utilizados em diversos locais, para diversos procedimentos.

Foram utilizados ratos Wistar divididos em dois grupos para poder avaliar as reações dos materiais em dois tempos diferentes, trinta e sessenta dias de pós-operatório.

Todos os fios foram analisados quanto à força e os resultados demonstraram que os fios testados apresentaram resultados diferentes das informações declaradas pelos fabricantes.

 

Conclusão

Todos os materiais estudados apresentaram diferenças nos resultados de força tênsil avaliados em 30 dias quando comparados aos dados fronecidos pelos fabricantes.

 

 

Referências

1. Kirk RM. Técnicas quirúrgicas básicas. Londres: Editorial Jims. 1975.

2. González Rascingno Gilberto. Suturas bajo tensión. Archivos argentinos de dermatologia. 1993, 43: 419-424.

3. Nigro AJT, Hirota RT, de Paula RM, Simoes AGS, Vieira WTT. Estudio comparativo, em cães , das gastrorrafias feitas com fios de polipropileno ou de ácido poliglicólico. Acta cirurgica brasileira. 1993, 8(3):118-23.

4. Kiilhoma P, Mäkinen T, Tenho T, Pitkänen and Hirvonen T. Comparison of two suture materials, dexon plus and maxon, in abdominal hysterectomy. Anales quirurgiae et gynaecologiae. 1994, 83:47-49.

5. Van Meter Blake H, Thacker John, Rodeheaver George T, Edlich Richard F. Some Biomechanical considerations in microsutures. Annal of plastic surgery. 1994, 32(4): 401-6.

6. Dodson Mark K, Megann Everett F, Sullivan Davis L and Meeks Rodney. Extrafacial wound deshicence: Deep en block closure versus superficial skin closure. Obstetric & Gynecology. 1994, 83(1):142-5.

7. García Lara Enrique, Muñoz Martínez Bayardo, Martínez Ayala Hugo B. Valoración de un nuevo material de sutura, poliglecaprone (25) en Ginecología y Obstetricia. Ginecología y Obstetricia de México. 1996, 64: 40-2.

8. Resende AP, Wainstein AJA. Fios de Sutura e Outros Materiais de Síntese. In: Fonseca FP, Rocha PRS. Cirurgia Ambulatorial. 3a ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A.1999.

9. Von Kossel K, Marinho LC, Ferreira R, Castro LC, Nigro AJT, Montero EFS. Gangliosídeos: estudo do colágeno e da resposta inflamatória no processo cicatricial. Acta Cir Brás. 2000, 15(Supl 1):15-20.

10. Rossi LF, Ramos RR, Kestering DM, Soldi MS, Ely JB, d’Acampora AJ. Tensile strength study of the abdominal wall following laparotomy synthesis using three types of surgical wires in Wistar rats. Acta Cirúrgica Brasileira. 2008, 23(1):73-7.

11. Najibi S, Banglmeier R, Matta JM, Tannast M. Material properties of common suture materials in orthopaedic surgery. The Iowa Orthopaedic Journal. 2010, 30:84-12. Karabulut R, Sonmez K, Turkylmaz Z, Bagbanci B, Basaklar AC, Kale N. An in vitro and in vivo evaluation of tensile strength and durability of seven suture materials in various pH and different conditions: An experimental study in rats. Indian J Surg. 2010, 72(5): 386-90.

13. http://www.unilene.com/absorbable-sutures/simple-catgut.php

14. http://www.demetech.us/chromic_catgut_suture.php

15. http://www.ecatalog.ethicon.com/sutures-absorbable/view/